file

A FIAT SPA FECHA SEGUNDO TRIMESTRE COM AUMENTO DE 9% DO SEU LUCRO OPERACIONAL PARA 1 BILHÃO DE EUROS

[Institucional]

01/08/2013

A Fiat SpA fechou o segundo trimestre de 2013 com um crescimento de 9% do seu lucro operacional, para 1 bilhão de euros, e uma redução do sua dívida industrial para 6,7 bilhões de euros.

As receitas cresceram 4% no período, para 22 bilhões de euros, impulsionadas por uma maior demanda. O lucro líquido do grupo quase dobrou de nível em relação ao ano anterior, para 435 milhões de euros. Observa-se ainda que a liquidez do Grupo Fiat mantém-se fortalecida com 21 bilhões de euros.

As vendas de automóveis cresceram 5% no comparativo anual  para 1,2 milhões de unidades, com crescimento de dois dígitos para as regiões LATAM (América Latina) e APAC (Ásia-Pacifico), acima de 4% para a região do NAFTA (EUA, Canadá e México) e abaixo de 5% para a região EMEA (Europa, Oriente Médio e África).

As receitas do Grupo totalizaram 22,3 bilhões de euros, o que representou um aumento de 4% em relação ao mesmo período do ano anterior (+6% dessazonalizado) em razão do crescimento das regiões do NAFTA, APAC e LATAM, e com uma redução de 3% na região do EMEA.  As marcas de luxo e esportivos tiveram um crescimento de 14% no período.

 

Lucro Operacional

O lucro operacional do Grupo excedeu a 1 bilhão de euros, um aumento de 9% em termos nominais e 12% dessazonalizado (947 milhões de euros no segundo trimestre de 2012).  O aumento deveu-se principalmente a uma maior redução das perdas na região EMEA e forte desempenho do anual na região APAC.    Os resultados obtidos tanto na região do NAFTA - que foram ligeiramente melhores em relação ao ano anterior devido aos novos lançamentos do primeiro trimestre do ano - e da região LATAM estão dentro do previsto pelo Grupo.

O lucro líquido no trimestre foi de 435 milhões de euros (ante 239 milhões de euros no segundo trimestre de 2012) e a dívida líquida industrial foi reduzida para 6,7 bilhões de euros (ante 7,1 bilhões de euros no primeiro trimestre) devido a um bom fluxo de caixa.

PERSPECTIVAS PARA 2013 - O Grupo mantém-se comprometido com as seguintes projeções para 2013:

Receitas: entre 88 e 92 bilhões de euros

Lucro Operacional: entre 4 e 4,5 bilhões de euros

Lucro Líquido: entre 1,2 a 1,5 bilhão de euros

Endividamento industrial líquido: 7 bilhões de euros